Pablo Casado é roteirista de quadrinhos e filmes.

Publicou de forma independente durante quase uma década. DUO, miniantologia em parceria com Felipe Cunha que reúne três histórias curtas, foi seu primeiro trabalho de destaque, tendo sido indicada ao HQ Mix em 2010, na categoria de Melhor Publicação Independente de Autor.

Em 2013, alcançou a maturidade profissional com Sabor Brasilis. Contemplada pela edição de 2011 do ProAC e lançada pela Zarabatana Books, a graphic novel sobre os bastidores de uma novela do horário nobre, criada ao lado de Hector Lima, George Schall e Felipe Cunha, foi bem recebida pelo público e pela imprensa especializada. Com eles, também coeditou a antologia INKSHOT, publicada digitalmente em inglês pela editora norte-americana MonkeyBrain Comics; onde A Cartilha da Bala, sua HQ ao lado de Felipe Sobreiro, integra a seleção.

Voltou a se reunir com os quatro, bem como com a ilustradora e artista plástica Camila Torrano e o roteirista Matheus Sant’Anna, na criação da Fictícia, selo-coletivo que estreou no 8º Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte, o FIQ.

E o trabalho com os quadrinhos, de alguma forma, o levou para o cinema um pouco antes, em 2011: junto ao então diretor estreante Anderson Barbosa, foi contemplado no I Prêmio de Incentivo à Produção Audiovisual de Alagoas, através do qual escreveu e produziu o curta Do Amor e Outros Crimes. No ano seguinte, mas de forma independente, lançou o curta Fênix. Ambos levam a assinatura da Muamba Cultural, selo audiovisual que mantém ao lado de Anderson.

É natural e residente em Maceió, Alagoas – provavelmente a cidade com as praias mais bonitas entre as dez mais violentas do mundo; ranking da qual faz parte com afinco.